Histórico

A cidade de MARCELINO RAMOS, terra das águas, teve seu destino marcado por acontecimentos que se perdem, às vezes, na madrugada de fatos e atos históricos dignos de memoráveis registros de tombamento à posteridade. No princípio era selva. Nessa época era habitada pelos bugres, índios conhecidos por coroados, além de caigangues, guarás e guaranis, dentre outros, em menor escala.

 

A colonização do território somente teve início por ocasião da revolução Federalista de 1893, também denominada de castilhista, quando algumas famílias procuravam refúgio no Vale do rio Uruguai. As terras onde tais famílias procuravam asilo (refugio) pertenciam, naquela época, ao 8º distrito de Passo Fundo.

 

A origem do nome Marcelino Ramos é uma homenagem ao ilustre Engenheiro Dr. Marcelino Ramos da Silva, que coordenou a exploração e locação do trecho ferroviário (Passo Fundo a Marcelino Ramos), em 1911. Em 27 de junho de 1918, Marcelino Ramos passou a categoria de Vila como sede do 3º Distrito de Erechim, município que então se instituía. Afinal por Decreto-Lei de 28 de dezembro de 1944 criou-se o Município de Marcelino Ramos, o qual foi solenemente instalado em 1º de janeiro de 1945.

 

O município de MARCELINO RAMOS está localizado na porção noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, na região do Alto Uruguai. Sua população é formada por descendentes de imigrantes italianos, alemães, poloneses e portugueses, além da raça negra. Tal miscigenação é visível na fisionomia de seu povo, em sua arquitetura e nos costumes da população, o que torna a cidade ainda mais bonita. Seus vales, rios e montanhas compõem uma das mais belas paisagens do Estado. Sua economia tem sustentáculo nas atividades agropecuárias praticadas em minifúndios, com exercício da economia familiar.

 

TURISMO e a realização de eventos são praticados de forma acentuada no município durante o ano todo. A cidade atrai turistas de diversas regiões, devido a seus belos pontos turísticos, como a Ponte Férrea, o Balneário de Águas Termais, o Seminário de Nossa Senhora da Salette, além do turismo rural, passeios de trem e um maravilhoso Lago, que possibilita esportes náuticos e passeios, sendo conhecida como A CAPITAL DO TURISMO DO ALTO URUGUAI.